Abaixe o som


fonoaudiologa-direito-de-ouvir-som-academia

Fonoaudióloga da Direito de Ouvir dá dicas sobre ruídos na Revista Boa Forma. Músicas nas alturas no spinning e na corrida, som no máximo volume na balada, cidade barulhenta: se você se reconhece nessas situações, melhor começar a se preocupar com sua audição. “Todo excesso de ruído contribui para a perda auditiva progressiva. Além da intensidade, o tempo de exposição ao barulho também interfere”, diz Verônica Soares, fonoaudióloga da Rede Direito de Ouvir.

Por que o som alto pode ser um inimigo?

O som alto altera a vascularização do ouvido, provocando a falta de oxigênio, que causa a morte das células auditivas. O que fazer? A especialista dá algumas instruções:

1 Regule o volume de seu fone de ouvido em um local silencioso e mantenha-o em um nível agradável. Não aumente o som, mesmo se depois você for pra um lugar mais barulhento.

2 Não durma com a televisão ligada. Esse é o momento de sua audição também descansar.

3 Se o barulho na academia – ou até mesmo o ronco do marido – a incomoda demais, não hesite em usar um protetor auricular.

4 Alguns aplicativos que simulam um decibelímetro (aparelho usado para medir o nível de ruído do ambiente) podem ser baixados gratuitamente no celular. É uma boa para você checar a intensidade dos barulhos à sua volta.

5 Se sentir um zumbido no ouvido, procure um especialista para uma avaliação mais cuidadosa.

Fones de ouvido: use com cuidado

Outras dicas para usar o fone de ouvido da maneira certa:

Se você é fã dos fones de ouvido, saiba que, se usados da maneira errada, eles podem oferecer sérios riscos para a saúde auditiva. Confira algumas dicas para usá-los da maneira certa:

  • Reduza o volume dos fones – Nunca ouça música no volume máximo. Isso pode danificar suas células auditivas de maneira irreparável. Se as outras pessoas estiverem escutando o que toca nos seus fones, fique atento. O som pode estar muito elevado.
  • Faça pausas – Lembre-se que seu ouvido também precisa de descanso
  • Ao se exercitar, reduza ainda mais o som – a oxigenação pode favorecer a lesão dos tecidos
Tópicos: Saúde Auditiva
arrow-up