Uso de analgésicos pode estar ligado a perda auditiva


analgesicos-relacionados-perda-auditiva

Um estudo do Brigham and Women´s Hospital, ligado à Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, apontou uma possível relação entre perda auditiva e uso de analgésicos entre mulheres. Segundo a pesquisa, alguns analgésicos como o ibuprofeno e o paracetamol podem ser bastante perigosos para a saúde auditiva. Tanto que 16,2% das mulheres observadas na pesquisa que faziam uso frequente destes medicamentos tinham deficiência auditiva.

O mesmo risco não foi identificado com o uso de aspirina. Mesmo assim, especialistas apontam que a deficiência auditiva também pode ser considerada como um possível efeito colateral do uso frequente e prolongado de aspirina.

Saiba mais sobre o estudo

A pesquisa identificou que a relação entre o uso de analgésico e deficiência auditiva foi mais frequente entre mulheres que usavam esse tipo de medicamento em um período de 6 anos, ou acima disso. No caso das mulheres que fizeram uso de analgésico uma ou duas vezes por semana em um período menor do que um ano não foi encontrado nenhuma relação entre os medicamentos e a perda auditiva.

Foram observados dados de 54 mil mulheres americanas com idades entre 48 a 73 anos de idade. Os especialistas analisaram os efeitos de três tipos de analgésicos: aspirina, ibuprofeno e paracetamol.

Os especialistas dizem que os riscos de perda auditiva são intensificados porque o uso indiscriminado de analgésicos é visto como uma coisa normal.

Mulheres com obesidade têm mais chance de ter perda auditiva

Medicamentos ototóxicos também oferecem riscos

Além dos analgésicos, existem cerca de 200 remédios considerados ototóxicos, ou seja, que podem causar danos ao sistema auditivo.

Estes medicamentos são antibióticos aminoglicosídeos, salicilatos, quinino, agentes antineoplásicos e diuréticos de alça. Na maioria dos casos, a ototoxicidade é temporária e não causa distúrbios por longos períodos, mas é importante que o uso inadequado deles pode provocar prejuízos à audição.

Os principais fatores de risco são:

Função renal alterada;
Dose cumulativa:
Dosagem sérica;
Exposição ao ruído;
Perda auditiva neurossensorial ou zumbido prévio;
Desnutrição;
Mau estado geral;
Idade (geralmente extremos)
Vertigem ou desequilíbrio;
Administração concomitante de mais de um ototóxico

Saiba mais sobre medicamentos ototóxicos aqui.

Tópicos: Perda auditiva, Saúde Auditiva
arrow-up