Aparelhos auditivos chineses: um risco para a audição


Aparelhos auditivos chineses podem ser risco para a saúde.

Aparelhos auditivos chineses chamam a atenção de muitas pessoas com perdas auditivas pelos preços baratos, mas será que realmente vai a pena investir neles?

Antes de investir neste tipo de dispositivo é importante verificar uma série de fatores e tomar cuidado para não ser enganado. Primeiro é preciso lembrar que todos os aparelhos auditivos comercializados no Brasil necessitam de registro na ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), órgão que regulamenta diversos setores relacionados à área da saúde. A maioria dos produtos chineses, no entanto, não apresenta esse registro.

Quanto à parte técnica, esses aparelhos também podem deixar a desejar. Muitos deles ainda são analógicos e não oferecem diversas funções que as próteses auditivas modernas oferecem, como redução do ruído do ambiente, controle de microfonia e uma adaptação mais eficiente a diferentes graus de perdas auditivas.

Atualmente, os dispositivos modernos oferecem ganhos de 70 a 140 decibéis. Só que os aparelhos chineses estão muito abaixo disso – alguns têm um ganho de quatro decibéis ou menos – e funcionam como amplificadores simples. Além disso, possuem microfones muito ruidosos, ou seja, a amplificação externa é muito pequena, mas o “barulho” do aparelho é enorme.

Outros dados técnicos importantes normalmente não são especificados, o que torna ainda mais complicado dizer se os aparelhos realmente são eficientes para minimizar perdas auditivas. E caso haja algum problema como quebra, não há garantia de suporte, manutenção ou troca.

Como funcionam os aparelhos auditivos?

Os aparelhos auditivos funcionam como amplificadores dos sons externos. Eles normalmente são compostos por um microfone, que capta o som, um amplificador que o amplia e um receptor, que envia o som amplificado para o ouvido. Toda essa estrutura é formada por baterias.

Quais são os tipos de aparelho?

O tipo de amplificação determina o tamanho e o modelo dos aparelhos. Normalmente para as perdas auditivas mais significativas indica-se o retroauricular, preso na parte externa da orelha. Os intracanais, que ficam dentro do ouvido, são os preferidos dos pacientes porque são mais discretos.

Para que o aparelho se adapte perfeitamente é feito um molde da orelha.

Que fatores são importantes na escolha do aparelho auditivo?

Além da fisiologia do seu ouvido, é importante levar em consideração o seu estilo de vida para escolher um aparelho auditivo. Por exemplo, pessoas que frequentam locais em que a audição é menos exigida podem optar por aparelhos que oferecem ganhos específicos para esse tipo de ambiente.

Tópicos: Aparelhos Auditivos, Sem categoria
arrow-up