Uso de aparelhos auditivos melhora depressão


aparelhos-auditivos-reduzem-depressao

Uma pesquisa realizada pelas Universidades Johns Hopkins, Oklahoma College of Medicine e Drexel apontou que pessoas com perda auditiva sentiram uma melhora significante em quadros de depressão após começarem a usar aparelhos auditivos ou implantes cocleares.

Comum entre pessoas da terceira idade, a perda auditiva é frequentemente associada a problemas físicos, como o desenvolvimento das demências, e com também prejudica o bem-estar.

Em pessoas abaixo de 70 anos de idade são muito comuns os casos que relacionam a perda auditiva e a depressão – outro estudo feito pela National Health and Nutrition Examination Survey, por exemplo, revelou que perda auditiva está associada à depressão, especialmente, entre mulheres e pessoas abaixo de 70 anos de idade.

No estudo, foram analisados 113 participantes com idade de 50 anos ou acima disso e que apresentavam sintomas de um quadro depressivo.

Desse total de voluntários, 63 passaram pela adaptação de aparelhos auditivos e 50 foram adaptados com implantes coclear. Após essa fase inicial, eles foram analisados segundo uma Escala de Depressão Geriátrica.  Seis meses depois, a medição apontou que 28% dos usuários de aparelhos auditivos e 31% das pessoas com implantes cocleares tinham reduzido drasticamente os sintomas depressivos.

Aparelhos auditivos= qualidade de vida melhor

O estudo indica que adultos com perda auditiva e que vêm sofrendo com sintomas depressivos podem contar com a esperança de melhora. Com o uso de aparelhos auditivos ou mesmo do implante coclear, eles ganham mais qualidade de vida.

Depressão x Perda auditiva

Uma série de outros estudos também já apontou a importância do uso de aparelhos auditivos para atenuar os sintomas da depressão. Uma pesquisa da Faculdade de Ciências Médicas, da Unicamp, apontou que o uso de aparelhos auditivos pode atenuar a depressão em mulheres idosas com perdas auditivas. Antes de utilizar as próteses, elas alegavam que a vida estava vazia e sentiam-se frequentemente aborrecidas, sem energia e sem esperança.

Mas, após fazerem uso das próteses auditivas, elas perceberam uma mudança na sua maneira de encarar a vida. Segundo a fonoaudióloga Virgínia Chaves Paiva de Queiroz, autora da dissertação, as pacientes não tiveram mais queixas de origem depressiva após o uso do aparelho auditivo. Saiba mais sobre a pesquisa aqui.

Tópicos: Audição, Perda auditiva, Saúde Auditiva
arrow-up