Fone por transmissão óssea


A condução do som por via óssea foi utilizada para o desenvolvimento de um novo fone nos Estados Unidos. A nova tecnologia não necessita mais dos ouvidos para desempenhar a função da audição, esta foi transferida para o crânio. “Assim, fica mais seguro pedalar ouvindo MP3, por exemplo, sem risco de não perceber um carro se aproximando”, diz Bruce Borenstein, chefe do AfterShokz, fabricante do produto.

O som transmitido por este sistema promete ser mais “limpo”, pois não está sujeito aos ruídos que passam por nossas orelhas. Por não ser alocado no ouvido, o fone permite que outras atividades sejam desempenhadas enquanto você escuta música. Por esta razão, o aparelho foi inicialmente desenvolvido para os militares americanos, que poderiam ouvir comandos e estar atentos aos ruídos e manifestações nos campos de batalha.

A condução óssea foi primeiramente testada por Bethoven, que mesmo tendo ficado surdo, pode continuar ouvindo música encostando uma vareta presa ao seu piano. Este método é o que nos permite ouvir nossa própria voz, que nos parece de maneira diferente aos que nos escutam por transmissão do som através do ar.

O Aftershoks fica posicionado entre as orelhas e as bochechas. Dentro dele, circuitos internos transformam as ondas sonoras em vibrações, que são captadas pelo nosso crânio. Eles funcionam como uma verdadeira caixa acústica e transmitem as vibrações até os tímpanos e o ouvido interno.

Fonte: http://www.netestudio.com.br

 

Tópicos: Sem categoria
arrow-up