Lutador surdo do UFC sofreu bullying no colégio


Um surdo de nascimento que superou o bullying para se tornar lutador profissional e chegar à maior organização de MMA do mundo. A dramática vida de Matt Hamill daria uma bela história de cinema. E deu, de fato, tanto que o filme “The Hammer” (O Martelo, em português), apelido dele, foi lançado em 2010. Mas as proezas de Hamill não param por aí. Um ano antes, ele passou a ser o único até hoje a vencer Jon Jones, atual campeão meio-pesado (até 93kg) do Ultimate.

Como o lutador surdo começou a ler e escrever

Surdo de nascimento, Matt aprendeu a ler, escrever e falar quando ainda era garoto, por insistência do avô e da mãe, que não queriam que ele fosse tratado de maneira diferente das demais crianças. Mas o problema fez com que ele fosse alvo de bullying, e aí que entraram as artes marciais na vida de Hamill, mais precisamente o wrestling (luta olímpica).

“Não teria chegado aqui sem minha família. Eles sempre me apoiaram muito e me ajudaram a me tornar quem eu sou. Sou feliz assim. Meu avô e minha mãe sempre quiseram me tratar como uma pessoa normal. Eu sofria muito bullying na escola quando era pequeno por não escutar, aí batia nos garotos, então meu padrasto me colocou no wrestling para acalmar meus ânimos. O wrestling me ajudou a ser uma pessoa calma, a ter foco e a aprender sobre mim. Toda vez que lutava eu me transformava, porque não via nenhuma desvantagem em relação aos outros nessa hora”, relata Matt.

 

(Brian Paille faz linguagem de sinais para Hamill)

Luta abriu novos caminhos

Por conta do seu bom desempenho no wrestling, Hamill ganhou bolsa em uma universidade, mas não deu continuidade basicamente por causa da surdez. Para entender o que o professor falava, ele precisava fazer leitura labial detalhada, mas o professor tinha que dividir a atenção com todos os demais alunos da classe. Após tirar notas baixas, o adolescente desistiu. Depois surgiu uma oportunidade em uma universidade especial para surdos, onde Matt se formou em engenharia mecânica. A essa altura ele já havia aprendido a linguagem de sinais.

De lá para cá, Hamill teve uma oportunidade na terceira temporada do reality show The Ultimate Fighter, quando só tinha uma luta profissional, e se saiu bem. Ele não seguiu na casa por motivo de lesão, mas acabou contratado pelo UFC. Casou-se duas vezes, ambas com companheiras também surdas, e teve uma filha normal com cada. Com um cartel de 11 vitórias e quatro derrotas, Matt ficou famoso, o que não é exatamente um problema:

– Você quer ser uma celebridade ou uma pessoa normal?

“Eu me coloco no meio. Muita gente para na minha casa para tirar foto comigo, por isso não consigo ser um cara normal. Só quero ser eu mesmo e me tornar o melhor lutador do mundo”, afirma Matt.

Fonte: http://www.conexaopenedo.com.br

Tópicos: Surdez
arrow-up