Medicamentos ototóxicos podem causar problemas auditivos


Você sabia que alguns remédios podem causar danos ao sistema coclear e vestibular? Eles são chamados de medicamentos ototóxicos.

Estima-se que existam cerca de 200 remédios considerados ototóxicos. Dentre eles os mais comuns são: antibióticos aminoglicosídeos, salicilatos, quinino, agentes antineoplásicos e diuréticos de alça. Na maioria dos casos, a ototoxicidade é temporária e não causa distúrbios por longos períodos, mas é importante que o uso inadequado deles pode provocar prejuízos à audição.

Como os danos acontecem?

As substâncias tóxicas geralmente exercem sua ação predominante na orelha interna, mas podem agir em mais de um local. As áreas mais afetadas costumam ser as células ciliadas da cóclea, o vestíbulo e a estria vascular.

FATORES DE RISCO

Os principais fatores de risco são:

  • Função renal alterada;
  • Dose cumulativa:
  • Dosagem sérica;
  • Exposição ao ruído;
  • Perda auditiva neurossensorial ou zumbido prévio;
  • Desnutrição;
  • Mau estado geral;
  • Idade (geralmente extremos)
  • Vertigem ou desequilíbrio;
  • Administração concomitante de mais de um ototóxico.

Quais são os remédio ototóxicos?

AMINOGLICOSÍDEOS  – São antibióticos de atividade bactericida, como a estreptomicina (usado no tratamento da tuberculose), a  Di-hidroestreptomicina, Neomicina, Kanamicina, Amicacina, Gentamicina.

ERITROMICINA – A eritromicina é um antibiótico da classe dos macrolídeos, cuja ototoxicidadeé rara e resulta em uma perda auditiva neurossensorial bilateral em todas as frequências. Em muitos casos, a perda pode ser temporária_ para ao redor do terceiro dia após suspensão da medicação. Zumbido é um sintoma que pode estar presente

VANCOMICINA – É um antibiótico usado no tratamento de infecções por S. aureus metilcilino resistente e colite pseudomembranosa.  A ototoxicidade ocorre quando medicado por via parenteral, já que seu uso via oral não apresenta absorção significativa. Hoje, acredita-se que a vancomicina potencializa o efeito dos aminoglicosídeos.

DIURÉTICOS DE ALÇA – O representante desse grupo mais frequentemente utilizado em nosso meio é o furosemide,um remédio de excreção renal.. A incidência de ototoxicidade em pacientes recebendo furosemide é de 6,4%.A perda auditiva costuma ser transitória e totalmente reversível.

SALICILATOS –O  ácido acetil salicílico é uma das medicações mais utilizadas na prática clínica. Sua ototoxicidade é limitada à cóclea e se manifesta como perda auditiva neurossensorial bilateral, simétrica, em todas as frequências e zumbido. A perda é proporcional ao nível sérico da droga e pode ser leve a moderada (20- 40 dB). Na maioria dos casos, a reversão completa ocorre entre 2 a 3 dias após suspensão da droga.

Como evitar problemas?

Antes do tratamento, é importante fazer exames audiológicos para detectar possíveis lesões que podem ser afetadas por esses remédios.

Tópicos: Perda auditiva, Saúde Auditiva
fonoaudiologa-direito-de-ouvir-som-academia

Abaixe o som

18/02/2014

arrow-up