Mulheres falam mais sobre a perda auditiva que homens


mulheres-falam-mais-sobre-perda-auditiva

Um estudo americano apontou que as mulheres com perda auditiva são mais duas propensas a falar sobre as dificuldades auditivas do que os homens. A pesquisa envolveu 337 participantes de uma clínica de audição, em Massachusetts, nos Estados Unidos.

Cerca de um terço dos participantes afirmaram que raramente eles falam para outras pessoas acerca de perda auditiva, enquanto que 14% compartilham a informação com as todas as pessoas. O que estimula as pessoas a compartilharem suas dificuldades? Segundo a pesquisa, os pacientes que já tiveram experiências de compartilhamento positivas  – nas quais encontraram compreensão e apoio – são duas vezes mais propensos a continuar conversando sobre sua perda auditiva.

No levantamento, a gravidade de perda auditiva não influenciou a decisão de contar ou não contar para as outras pessoas.

Na contramão do comportamento feminino, esteve o masculino. Ficou claro que muitos homens preferem esconder a perda, mesmo que isso prejudique sua comunicação.

Segundo as especialistas que conduziram o estudo, Jessica West e Konstantina Stankovi, colegas da universidade de Harvard e Massachusetts,, nos Estados Unidos, a atitude da mulher é melhor porque pode limitar os impactos negativos de perda auditiva, na vida dos pacientes.

MULHERES TEM PERDA AUDITIVA EM IDADE MAIS AVANÇADA

Mulheres e homens têm capacidade auditiva diferente e elas tendem ter problemas auditivos com menos frequência que eles. “Mas, isso não significa que elas podem descuidar da saúde auditiva”, pondera Ana Paula Lopes, fonoaudióloga da Direito de Ouvir Amplifon Brasil – que pertence ao grupo italiano Amplifon, que é líder mundial em soluções auditivas.

As diferenças entre homens e mulheres, quando o assunto é audição, ficaram mais claras em um estudo publicado nos EUA – um dos maiores e mais importantes da especialidade. “Antes deste, os estudos eram inconclusivos sobre a especificidade da diferença de sexo associada à perda auditiva”, comentam os autores*.

“Mulheres tendem a ouvir melhor que homens os sons em frequência mais alta. Por isso, inclusive, há algumas diferenças de comportamento, sobre a atenção a conversas paralelas, por exemplo”, explica a fonoaudióloga. Saiba mais!

Tópicos: Perda auditiva, Saúde Auditiva
arrow-up