Deputados Reivindicam Redução De Impostos Em Equipamentos Para Surdez


Segundo a reportagem publicada pela Agência Câmara dos Deputados, a Comissão de Seguridade Social e Família promoveu nesta última terça-feira, uma audiência pública, na qual discutiriam o “direito à comunicação e à informação das pessoas com deficiência auditivas”. A deputada Rosinha de Adefal do PTdoB de Alagoas, quem sugeriu o debate, afirmou que é necessário uma atenção tanto da sociedade como do governo aos deficientes auditivos que usam apenas a língua portuguesa para se comunicar e não conhecem a língua brasileira de sinais – LIBRAS.

A parlamentar também defendeu a redução de impostos para as tecnologias que melhoram a qualidade da comunicação das pessoas com algum problema de audição. Sua defesa se deve ao fato que cada aparelho auditivo pode chegar à custa até R$ 10.000,00. Já o implante coclear, conhecido como ouvido biônico, custa em média, R$ 50.000,00. “O preço alto desses aparelhos acaba por promover a exclusão dessas pessoas. É uma barreira que precisa ser derrubada”, afirma Rosinha.

Essa opinião é compartilhada pelo deputado Arnaldo Faria de Sá do PTB de São Paulo. Segundo ele, a redução dos preços dos equipamentos deve ser uma política do governo. “Já existem políticas para que esses produtos sejam mais acessíveis. Mas o governo precisa de políticas mais agressivas”, afirmou o deputado.

“Temos que garantir as duas formas de comunicação, tanto pela língua portuguesa, como pela Libras. A falta de tecnologia é uma barreira que dificulta não só o dia a dia, mas exclui as pessoas surdas de princípios fundamentais, como o direito à educação e à informação”, afirma a procurado da República no Estado de São Paulo Eugênia Fávero.

Para a socióloga Sônia Ramires de Almeida, quem é deficiente auditivo se torna refém dos fornecedores de equipamentos. “Já vi aparelhos aqui no Brasil, vendidos por R$ 10.000,00, ao passo que na internet, encontrei o mesmo aparelho por U$ 2.000,00. Os fornecedores sempre dão a mesma desculpa. Dizem que é por causa dos impostos, mas não dizem que impostos são esses”.

A Câmara analisa a Medida Provisória 549/11 que reduz os impostos para equipamentos usados por pessoas com deficiência – como próteses e aparelhos auditivos. Nesta terça o parecer foi lido e o tema discutido entre os parlamentares, agora é esperar, pois, a Medida Provisória deve ser votada na próxima semana.

A Rede de Clínicas DIREITO DE OUVIR®, preocupada com essa questão, desde de meados de 2007 tem como objetivo e missão, ajudar o deficiente auditivo a se reintegrar a sociedade, e para isso lutou para conseguir uma redução de custos, desde a consulta até o valor do aparelho, chegando a ser hoje até 70% mais barato que seus concorrentes. No site, você consegue perceber essa diferença, por exemplo, o aparelho RITE PC, um dos aparelhos mais modernos disponíveis no mercado, é vendido na Rede de Clínicas DIREITO DE OUVIR por R$ 3.439,00. Já o Aparelho Auditivo Retroauricular Analógico sai por R$ 1.099,00 e o Aparelho Retroauricular Digital TRIMER sai por R$ 1.800,00.

O Direito de Ouvir® é também destaque em atendimento, com pontos de atendimento em mais de 390 cidades divididas pelo Brasil, e mais de 150 fonoaudiólogos altamente qualificados e treinados para atender ao deficiente auditivo com o maior conforto e carinho. Dando todo o suporte pré e pós venda, além do acompanhamento de adaptação que é muito importante.

Tópicos: Aparelhos Auditivos, Direito de Ouvir
arrow-up