O Mistério Da Música Grudenta


Música grudenta

Cientistas já demonstraram que nosso cérebro se ilumina quando ouvimos uma música, como também que o nosso cérebro toca sua própria música. O que não se entende é porque algumas músicas fixam mais em nosso cérebro, ecoando sem parar??

A pesquisadora Vick Williamson, especializada em psicologia da música resolveu estudar o fenômeno das musicas que grudam na cabeça e descobriu, a partir de uma pesquisa realizada com ouvintes da rádio BBC, quais músicas grudavam mais na cabeça. Ela chegou à conclusão que este fenômeno é muito individual, afeta cada um de maneira distinta. De maneira geral uma música “gruda na cabeça” devido à exposição e repetição, mas também porque tal música “desperta” algo na memória da pessoa. Um exemplo é a canção Don’t Stop Believing, do conjunto Foreigner, que no começo da sua pesquisa era uma das mais citadas, na época, devido ao seu uso na série americana Glee.

Segundo seu estudo, o fenômeno da música grudenta ocorre quando os indivíduos estão geralmente em um estado emocional positivo e se mantendo ocupados com atividades não intelectuais, que não exigem muita concentração. Esse fenômeno é parte de um processo mais amplo conhecido como “memória involuntária”, como por exemplo, quando se fica com vontade de comer algo por se lembrar da comida.

Ouvir música, em resumo, é uma atividade extremamente positiva, pois estimula diferentes áreas de nosso cérebro, relacionadas ao ouvir, ao cantar, à memória, etc., no entanto, é sempre importante verificar em qual volume se está ouvindo, pois este prazer pode se tornar um dano para a saúde auditiva. Por isso atenção, abaixe o volume e curta sua música!

Tópicos: Saúde Auditiva
arrow-up