O uso regular de aparelho auditivo pode diminuir o risco de demência?


Um estudo que engloba os fatores da surdez relacionada com a demência, constatou que pelo menos 3,8 mil pessoas – dentre elas, a maioria idosos – afirmaram que não faziam uso do equipamento auditivo necessário para o tratamento de problemas no ouvido. Essas mesmas pessoas foram alocadas em um grupo com altas possibilidades de contrair a demência, fator exclusivamente constatado pelo não uso ou uso incorreto do aparelho auditivo.
A prevenção do declínio cognitivo em pessoas com problemas auditivos vem diretamente do uso correto do aparelho. Quando há uma melhora na audição, o indivíduo consegue um desempenho maior na participação das atividades que estão em volta do seu ambiente, consequentemente causando uma ativação dos sentidos e não um declínio – que aconteceria caso a audição estivesse prejudicada. Os sensores cognitivos do cérebro são ativados, participando diretamente do sistema sensorial da pessoa.

Perda auditiva e demência
Outros estudos também constataram a correlação da surdez com o sistema cognitivo estar prejudicado. Os mais afetados nessa posição são os idosos, tanto pela idade quanto pela escassez de conhecimento que cerceia o assunto. Muita das vezes a busca pelo tratamento é tardia ou não aceita, visto que nem sempre o uso de um aparelho auditivo pode parecer uma ideia confortável.
É necessário reconhecer o problema e alterá-lo o mais rápido possível para que não haja grandes consequências a longo prazo, como o declínio cognitivo que pode ser irreversível. O conhecimento dos sentidos e do nosso corpo precisa ser reconhecido e trabalhado da melhor forma possível.
Porém, caso a pessoa seja idosa, ou por algum motivo tenha alguma de suas funções motoras ou sensoriais prejudicadas, é importante que esses indivíduos estejam cercados por uma rede de apoio, e não exclusão. Agregar com um conhecimento prévio em pessoas que aparentam ter problemas auditivos é essencial para a prevenção de outros fatores de risco, principalmente em idosos. A paciência e o cuidado são a chave para uma boa saúde.

Qualidade de vida
Algumas soluções auditivas como o protetor auricular ou simplesmente o clássico equipamento que ajuda na melhora das funções do ouvido, podem prolongar a saúde daqueles que necessitam desse suporte, além de um tratamento e acompanhamento com os devidos profissionais da área.
O uso correto desses aparelhos podem dar uma qualidade de vida maior a seus usuários, isso porque fica mais fácil e flexível o desenvolvimento das atividades do dia a dia, como ir ao supermercado ou falar ao telefone. Também auxilia aqueles que precisam manter seus trabalhos em dia e a não dependerem exclusivamente da ajuda de outras pessoas. A comunicação direta com outros indivíduos também é fortalecida, dando uma perspectiva melhor para quem tem a audição comprometida.
O emocional e físico também são beneficiados pelo uso do aparelho auditivo, justamente pela sua função trazer melhoras nos sentidos da pessoa, o que pode ajudar até na condição e capacidade física dos usuários que utilizam esse suporte auditivo.

Tópicos: Audição, Saúde Auditiva
arrow-up