OMS Adverte Sobre A Importância Do Envelhecimento Saudável


OMS Adverte Sobre A Importância Do Envelhecimento Saudável

“A garantia de um envelhecimento saudável” é o tema escolhido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para o DIA MUNDIAL DA SAÚDE, que será celebrado no próximo dia 7 de Abril. Neste ano, a data marca os 64 anos de fundação desta entidade. O alerta da OMS, já descrito no tema, decorre da previsão de que em poucos anos, o número de pessoas com mais de 60 anos será maior que o número de crianças com menos de 5 anos. E esses idosos serão numerosos, principalmente, em países pobres ou em desenvolvimento.

O envelhecimento, apesar de todos os avanços da ciência e da tecnologia, ainda é um processo doloroso. E uma das maiores causas do isolamento na velhice é a surdez. Está provado cientificamente que a deficiência auditiva evolui conforme a idade. Entre 35 e 54 anos a perda média é de 4%, entre 55 e 64 a perda sobe para 15%, e nos indivíduos com mais de 75 anos esta perda sobe para 39%.

“O que normalmente acontece é que o indivíduo de terceira idade não percebe que está ficando surdo ou não consegue admitir a tempo de chegar a ter um tratamento preventivo”, conta a especialista em surdez na terceira idade Prof. Dra. Teresa Bilton, fonoaudióloga, professora do Curso de Fonoaudiologia da PUCSP e que atua na Derdic – Divisão de Educação e Reabilitação dos Distúrbios da Comunicação – PUC-SP.

Prevenção

Mas tais perdas auditivas podem ser detectadas e tratadas. Por isso a importância de se realizar uma avaliação médica. Somente a partir do exame de audição (audiometria), que se poderá determinar o grau e o tipo de perda auditiva. E assim qual o melhor tratamento para este, levando-se em conta que o idoso deve ficar apto para atuar tanto socialmente como pessoalmente. Ou seja, ele deve recuperar sua autoestima e independência.

É importante que autoridades ligadas à saúde tomem medidas para conter as doenças crônicas não transmissíveis que atingem os idosos. Entre elas estão o ataque cardíaco, o câncer, diabetes e doenças pulmonares. De acordo com a diretora-geral da OMS, Margareth Chan, os países pobres são os mais vulneráveis. Nesses países, as pessoas têm risco, quatro vezes maior de morrer ou sofrer alguma deficiência devido a uma doença crônica. Ela também observa que a maioria das enfermidades relacionadas à velhice pode ser prevenida ou tratada sem grande custo. Por exemplo, o controle da pressão sanguínea, fator de diminuição do risco de infarto.

Tópicos: Saúde Auditiva
arrow-up