Os surdos não são propriamente mudos


Muito se confunde sobre a associação do termo “surdo-mudo”, considerado um equívoco cometido por grande parte da sociedade. É comum a confusão, pela relação que se faz da dependência que a fala tem sobre a audição, aprendemos a falar ouvindo os outros falarem. Assim, se os deficientes auditivos não podem ouvir, logo não aprendem a falar.

Porém essa lógica é considerada um equívoco, pois a nomeação de “mudo” advém de um indivíduo que não utiliza seu aparelho fonador, e o surdo pode sim produzir alguma sonorização vocal, mesmo aqueles que se comunicam através da linguagem de sinais e não saibam falar, apresentam sons vocais ao sinalizar e utilizam da voz quando estão em perigo. Além disso, podem desenvolver a linguagem oral por meio de um tratamento com um fonoaudiólogo.

A linguagem de sinais tem grande importância na vida dos surdos que não possuem a linguagem oral, ela é o meio de comunicação e expressão destes indivíduos, desempenhando papel importante como a própria fala possui.

A perda auditiva possui vários níveis de manifestação, podendo ser considerada desde leve a severa, assim, nem todo surdo pode ser nomeado como mudo, alguns deficientes auditivos que necessitam do uso de aparelhos auditivos utilizam destes para tratar a sua saúde auditiva.

Dessa forma, o termo “surdo-mudo” é considerado errado. Cada pessoa possui um tipo diferente de deficiência, bem como o grau que esta apresenta, devendo assim, buscar tratamento adequado a cada uma delas.

Precisando de um tratamento com um fonoaudiólogo? Cadastre-se em nosso site e agende uma consulta!

http://direitodeouvir.com.br/cadastroPaciente.php

Tópicos: Sem categoria
arrow-up