Audição na terceira idade e Presbiacusia


Com o passar dos anos nosso organismo entra em processo geral de envelhecimento desde nossa pele que deixa de ser lisa e sem marcas, passando pelos cabelos que ficam brancos até nossa audição que perde sua capacidade total de distinguir os sons.

Na terceira idade com o envelhecimento de todo o corpo, a orelha também passa por esse processo o que acomete o sistema auditivo causando a perda progressiva da audição. Cientificamente essa ação provocada pelo desgaste fisiológico das células auditivas recebe o nome de Presbiacusia.

A Presbiacusia se dá em função da idade e normalmente ocorre a partir dos 60 anos, podendo em alguns casos, acontecer antes devido a fatores genéticos e ambientais, como a exposição a ruídos intensos e frequentes, alimentação inadequada, estresse, uso de medicamentos, além de fatores metabólicos e hereditários.

Aparelho Auditivo Aparelhos Auditivos Audição na terceira idadeAudição: sintomas da presbiacusia

Na terceira idade a presbiacusia inicialmente compromete o entendimento de sons agudos, sendo quase imperceptível nesse estágio. Porém, à medida que avança o idoso começa a ter dificuldades de compreensão da fala, por isso é comum queixas de “Ouço, mas não entendo”.

Dessa forma o idoso faz associações das palavras ouvidas com outras semelhantes, aumenta o volume da televisão, do rádio, entre outras situações. Além disso, a presbiacusia também pode ser acompanhada do incomodo a sons muito altos.

Audição e presbiacusia: consequências e soluções

Diante desses sintomas o idoso pode isolar-se o que gera rejeição social e pode levar até a depressão. Para que esse momento delicado seja vivido plenamente é muito importante consultar um médico otorrinolaringologista e posteriormente um fonoaudiólogo para que sejam realizados testes auditivos os resultados promovam bem estar, segurança, conforto e melhor qualidade de vida ao idoso.

 

 

Tópicos: Perda auditiva
arrow-up