Por que o ouvido entope na serra?


Pegar a serra de carro ou viajar de avião pode trazer uma sensação nada agradável de ouvido entupido. Esse fenômeno chamado autofonia é super comum e, nesses casos, acontece graças à mudança de altitude promovida pelo sobe e desce dos passeios. Mas existem outras situações que fazem o problema surgir e, apesar de sumir na maioria das vezes em pouco tempo, pode ser perigoso para a saúde, principalmente, de bebês e crianças.

Por que o ouvido entope?

É como se você se sentisse falando dentro da própria cabeça e pouco ouvisse o que se fala no mundo exterior. As causas da autofonia são muitas, mas as mais comuns são as já ditas mudanças de altitude. “Ocorre uma diferença de pressão entre a orelha externa e a média. O corpo leva algum tempo para se acostumar com essa mudança, portanto, se a pressão do ambiente for diferente da que ele estava habituado, ocorre à sensação de ouvido tapado”, comenta a otorrinolaringologista Dra. Rita de Cássia Cassou Guimarães.
Além disso, pode ocorrer entupimento em pessoas que sofrem com bruxismo e, para elas, é preciso avaliação e tratamento odontológico. Outra situação é quando acontece algum problema ou disfunção no funcionamento do ouvido ou mesmo pelo acúmulo de cerume (cera). “Às vezes a quantidade de cerume é normal, mas com entrada de água ou com o uso de hastes flexíveis, ele é empurrado para o fundo do conduto, causando entupimento e até dor de ouvido”, esclarece a Dra. Rita, que explica que só há melhora completa quando o excesso for removido pelo médico.

Como evitar que o ouvido entupa em viagens?

A situação logo costuma se resolver pelo mecanismo de compensação da tuba auditiva (canal muscular), que envia a pressão de ar da porção posterior do nariz até o ouvido médio. Isso acontece sempre que engolimos a saliva, bebemos líquidos ou bocejamos, porque acaba equilibrando a pressão e corrigindo a autofonia. Esses são truques importantes para evitar que o ouvido entupa durante as viagens.

Efeitos da autofonia

Segundo a médica, vôos de avião e mergulhos oferecem mais riscos. Nessas situações mais extremas, além da autofonia, as pessoas podem ter dor de ouvido e até extravasamento de líquido e ou de sangue na cavidade do ouvido médio, provocando uma infecção conhecida como otite média aguda.
O grupo de pessoas que mais sofre com esses problemas são os bebês e as crianças, justamente pelas características anatômicas e funcionais da tuba auditiva que favorecem o entupimento dos ouvidos e consequentemente dores nessa região. “Além das características da tuba auditiva, somam-se algumas alterações nasais, como os resfriados, as gripes, as rinites alérgicas e o aumento das adenóides que geram obstrução nasal mais comuns nessas faixas etárias, o que tornam possível até uma perfuração no tímpano da criança”, explica.
A otorrino ressalta que quando resfriado, independente da idade, é contra indicado fazer mergulho – pelos mesmos motivos que fazem com que as crianças sofram com as otites e a autofonia: as já citadas a obstrução nasal e aumento das adenóides. Nesses casos e em viagens aéreas, é imprescindível adquirir hábitos para manter a saúde dos ouvidos em dia, como tratar resfriados, gripes e rinites e consultar um médico assim que perceber complicações. “Não usar hastes flexíveis nos ouvidos e não tentar remover o cerume por conta própria é um fator básico de prevenção. Isso é imprescindível para garantir a saúde auditiva”, conclui a Dra. Rita Guimarães.

Fonte: http://www.bolsademulher.com

 

Tópicos: Otorrinolaringologista, Saúde Auditiva
arrow-up