Semana Nacional de Mobilização em favor dos direitos dos surdos do Brasil


Nesta segunda feira (23) teve inicio a Semana Nacional de Mobilização em favor dos direitos dos surdos do Brasil. O evento, realizado no auditório da Secretaria Municipal de Educação (Semed), marcou o início da campanha ‘Setembro Azul’ e é uma oportunidade para debater e fortalecer das políticas públicas em favor de quem sofre com o problema.

A Semed atende cerca de 150 alunos com deficiência auditiva na rede municipal de ensino. São aproximadamente 80 professores que fazem cursos de libras e atendem alunos surdos em processo de inclusão nas 38 salas de recursos multifuncionais em toda rede de ensino. A Escola Municipal de Educação Especial André Vidal de Araújo, trabalha com 50 alunos surdos nos três turnos.

Segundo a gerente da educação especial da Semed, Reni Formiga, é uma semana para todos refletirem sobre as pessoas que precisam de uma atenção especial dentro da sociedade.

“Essa semana, é justamente para que possamos estar atentos sobre o processo de inclusão do surdo. É um processo que precisa de muito suporte. Quem sofre com a surdez precisa de intérprete, precisa fazer a língua brasileira de sinais e, principalmente, a língua portuguesa, onde está a maior dificuldade deles. Precisa que os pais e a família também aprendam a se comunicar com eles, o que é um grande desafio. Por isso, a gerência está trazendo essa programação a fim de favorecer o processo de inclusão dos surdos e dar um alerta a toda a comunidade escolar e à sociedade de modo geral”, disse Reni.

Participaram da programação, educadores da educação especial da Semed, diretores, pedadogos, professores, alunos, pais, responsáveis e alunos surdos da rede municipal de Maria do Perpétuo Socorro é mãe da aluna Alessandra da Silva Carvalho, 8º ano, da Escola Municipal Themístocles Pinheiro Gadelha, bairro Jorge Teixeira, zona Leste. Ela disse que não sabia como agir nos primeiros quatro anos de Alessandra.

Entenda o que é Setembro Azul

O Setembro Azul pode ser entendido como o marco fundamental no que diz respeito à mobilização nacional na defesa das escolas bilíngues para surdos. É um movimento social motivado por uma critica à atual política de educação especial que tem como prioridade o modelo da inclusão, ou seja, colocar os Surdos em escolas regulares e posteriormente o fechamento das escolas especiais.

Ocorreram dois eventos que motivaram o movimento que são o “equivoco na elaboração do Plano Nacional de Educação pelo CONAE” e o “Risco de Fechamento do INES”, resultaram em uma mobilização nacional de caravanas que se encontraram em Brasília entre os dias 19 e 20 de maio de 2011, e foi no mesmo tempo que a FENEIS elaborou a carta na qual se mostrava favorável à Educação Bilíngue para os Surdos e uma critica forte à dita inclusão escolar solicitando uma equiparação entre Educação de Surdos e a Educação Indígena.

A Rede de Clínicas Direito de Ouvir reforça aqui a importância da luta enfrentada pelos surdos e é totalmente a favor de um Brasil mais justo e inclusivo. Aproveitamos para antecipar a homenagem a eles, pois dia 26 é celebrado o Dia Nacional dos Surdos.

Fontes: www.setembroazul.com.br

www.emtempo.com.br

Tópicos: Surdez
arrow-up