Surdez ≠ Deficiência Auditiva


Muitas pessoas confundem o termo surdez com deficiência auditiva, porém se esquecem de que estas duas concepções se distinguem entre sim, e não devem ser encaradas como sinônimas.

A deficiência auditiva é uma perda adquirida, ou seja, é quando se nasce com uma audição perfeita e devido a lesões, doenças ou hábitos maléficos, a mesma se perde. Nestas situações, na maioria dos casos, a pessoa já aprendeu a se comunicar oralmente. Assim, ao adquirir esta deficiência, vai ter de aprender a comunicar de outra forma.
Em certos casos, a solução dessas pessoas pode vir a ser o uso de aparelhos auditivos ou as intervenções cirúrgicas (dependendo do grau da deficiência auditiva) a fim de minimizar ou corrigir o problema.

Já a surdez advém de origem congênita, ou seja, a pessoa nasce surda, não tendo a capacidade de ouvir nenhum som. Surgindo, por consequência, dificuldades na aquisição da linguagem, bem como no desenvolvimento da comunicação.

  A SURDEZ GENÉTICA OU ADQUIRIDA

A surdez pode ser genética ou adquirida durante a vida pós-natal através de uma doença (traumatismo acústico, infecção, ototóxicos, envelhecimento, etc.) Mas também pode ser devida a alterações adquiridas sobre uma predisposição genética.

       Ao nascimento

 


Segundo a organização mundial de saúde em cada 1000 nascimentos diagnosticam-se 1 a 1,5 casos de surdez severa ou profunda, e este número eleva-se a 3% se forem incluídos casos de surdez moderada e aos 5% se forem incluídos todos os casos de hipoacusia.
Três quartos dos casos de surdez são de causa genética (g). O outro quarto são adquiridas durante a gravidez ou no período perinatal.

 Nas crianças

 

A maioria dos casos de surdez é devido a problemas do ouvido médio (OM) como a otite crônica ou a otite média (OM) com efusão ou seromucosa.
A percentagem de casos de hipoacusia de causa genética reduz para aproximadamente 10%.
O restante (azul) é causado por múltiplos fatores.

          Fase Adulta

           

Os fatores que causam surdez no adulto estão a aumentar e representam, na atualidade, a grande maioria dos casos de surdez.As otites médias crônicas (OM) só são responsáveis por 20% dos casos, algo menos que a doença da Meniére (M), que também atinge o sistema vestibular (vertigem). O traumatismo acústico (t) causado pela sobre-exposição sonora ocupa hoje o primeiro lugar dos fatores responsáveis pela surdez, e a sua importância só tende a aumentar.

Outros fatores completam este gráfico: principalmente os medicamentos ototóxicos e a surdez súbita. A surdez de origem genética (g) só é responsável por uma pequena percentagem do total, mas deve-se assinalar que em muitos casos (trauma acústico, ototoxicidade, Meniére) é provável que existam componentes genéticos que acelerem a surdez adquirida.

 Fonte: http://www.cochlea.org

Seja qual for o seu tipo de deficiência auditiva estamos preparados para auxiliá-lo da forma necessária ao seu caso. Preencha seu cadastro no site: http://www.direitodeouvir.com.br/cadastroPaciente.php que nossa equipe de especialistas entrará em contato com você!

 

 

Tópicos: Audição, Saúde Auditiva, Surdez
arrow-up