Surdez e preconceito são tema da peça “Tribos”, com Antônio Fagundes


Está em cartaz no Teatro Tuca, em São Paulo, a peça “Tribos”, com Antônio Fagundes e seu filho, Bruno Fagundes. A história aborda a surdez universal e preconceito.

A trama é dividida em duas categorias, os surdos fisicamente incapazes de receber estímulos sonoros e os “surdos” que não percebem a realidade diferente de sua própria.

“Ser preconceituoso é ser surdo”, diz Antonio Fagundes, que aborda questões como falta de amor e aceitação em sua nova peça “Tribos”.

Ele interpreta Christopher, pai do jovem Billy (vivido por seu filho Bruno Fagundes), que nasceu surdo e luta para se adaptar a um ambiente familiar nada convencional.

Quando o rapaz conhece Sylvia (Arieta Corrêa), uma moça prestes a perder a audição, passa a entender o que é se sentir realmente parte de algum lugar.

“Tribos” nos faz pensar na surdez universal daqueles que são incapazes de entender uma realidade diferente da sua”, afirma Fagundes pai, que divide o palco com o filho pela segunda vez-a primeira foi em “Vermelho”.

Para fazer Billy, Bruno teve que estudar durante meses a linguagem dos sinais e entender a vida silenciosa dessa personagem. “É uma língua complexa, cheia de nuances, e os movimentos exigem uma precisão assustadora”, conta o ator, que acha que a peça vai fazer “o público refletir sobre sua maneira de ‘ouvir’ o mundo”.

O texto premiado de Nina Raine, que mostra as limitações do ser humano, ganha tradução de Rachel Ripani e direção de Ulysses Cruz. Completam o elenco mais três atores: Eliete Cigaarini, Guilherme Magon e Maíra Dvorek.

Peça: Tribos

Local: Teatro TUCA

Endereço: Monte Alegre, 1024 – Perdizes – São Paulo

Horários: sexta 21h30 / sábado 21h30 / domingo 18h

Fonte: http://culturafm.cmais.com.br

http://guia.folha.uol.com.br

 

Tópicos: Sem categoria
arrow-up