Surdez súbita aumenta chances de depressão


surdez-subita-depressao

Um estudo apontou que pessoas com surdez súbita têm 2.17 vezes mais riscos a mais de desenvolver depressão do que quem nunca sofreu com esse problema auditivo. Esse número é ainda maior entre pessoas com idade inferior a 60 anos.

O estudo realizado com base em dados da National Health Insurance Research Database (NHIRD), de Taiwan, levou em consideração 1717 pessoas com perda auditiva repentina e um grupo de 6868 indivíduos sem essa enfermidade participaram do estudo.

O que é a perda auditiva súbita?

A surdez súbita é uma perda auditiva que ocorre em três frequências contínuas que ocorre ao longo de poucos dias. Ela pode atingir pessoas de qualquer idade, mas é mais comum em pessoas na faixa etária de 50 anos.

Entre as causas da perda auditiva estão

– infecções virais

– desordens vasculares

– traumas cranianos que afetam estruturas importantes do ouvido, como as células ciliadas, tímpano e os ossículos

– tumores de ouvido

– uso de medicamento com ação ototóxica

– traumas causados por explosões ou barulhos súbitos

SINTOMAS DA SURDEZ SÚBITA

São muitos os sintomas: além da perda auditiva, pessoas com surdez súbita podem apresentar zumbido e até uma vertigem que pode ou não desaparecer em alguns dias.

TRATAMENTO PARA A SURDEZ SÚBITA

Se suspeitar que está com surdez súbita, a pessoa precisa buscar imediatamente um otorrinolaringologista. Não esperar é fundamental! Quanto mais rápido for feito o atendimento médico maiores são as chances de reverter o problema. Após as primeiras 48 horas são decisivas: com o passar das horas as chances de ter um tratamento efetivo vão diminuindo.

O tratamento pode variar de acordo com o médico e as causas que provocaram a perda repentina de audição.

Normalmente, é feito um exame clínico e uma audiometria. Confirmado o diagnóstico de surdez súbita, normalmente são prescritos medicamentos corticoides, antiinflamatórios e/ou vasodilatadores para tratar o problema. Estima-se que um terço dos pacientes tenham alguma melhora.

No caso dos que não tem, pode ser indicado o uso de aparelhos auditivos. Mas os especialistas são unanimes em dizer que o melhor tratamento é, na verdade, a prevenção. Recomenda-se aos pacientes que sempre peçam esclarecimentos sobre medicamentos ototóxicos – você pode saber mais sobre eles aqui – e que evitem a exposição prolongada a ruídos intensos.

Saiba mais sobre surdez súbita!

Tópicos: Perda auditiva, Saúde Auditiva
arrow-up